Descabaçado pelo baixinho mega roludo e escroto


Click to Download this video!


Me chamo Fabio, e embora na época ja com meus 37 anos eu nunca tinha tido experiências com homens, sou um homem alto, 1,96, 100kg, mas não sarado e também não gordo, corpo normal, olhos negros e cabelos altos também negros, me acho um homem simpático, e mesmo sabendo que tinha atração por homens nunca nada de real tinha acontecido. Eu tinha sido transferido do interior para capital a menos de 3 meses e era noite de réveillon, minha esposa fez amizade com uns vizinhos que nos convidaram para passar a virada do ano em um condomínio beira mar. Grande, tinha cerca de 50 unidades, festa bem montada, bem organizada, mas ali eu era um verdadeiro estranho no ninho, não conhecia ninguém! Apenas o casal de vizinhos que nos levaram, porém ainda assim estava divertido. Lá perto das 11 da noite, minha esposa foi levar minha filha ao banheiro e acabei ficando sozinho na mesa, foi quando aquele baixinho apareceu. Deveria ter 1,61 talvez 1,62, mas não mais que isso, mas sarado, pesado, devia pesar uns 75kg, peito e ombros largos, cabeça raspada, barba negra, por fazer, aparentava ter uns 35 anos, talvez um pouco mais, vestia havaianas, bermudão que mostravam bem seus coxões e uma regata branca, que com certeza queria exibir os braços e o tórax largo. Sem a menor dúvida um homem atrante de corpo e rosto, traços fortes, cara enfesada, e do nada esse cidadão que não sei aonde saiu senta-se do meu lado e puxa conversa comigo:

-E aê grandão?

Pelo apreço dele eu jamais partia conversa com ele, mas foi ele que me procurou. Era um sotaque forte pra caralho de nordestino. Não havia mais ninguém sentado, e ainda que houvessem grandão só poderia ser comigo, então respondi calorosamente:

-Opa, tudo bom?

Segurava um copo de uísque, abriu um sorriso sacana e continuou:

-Tá sozinho?

-Não, minha esposa foi levar minha filha no banheiro. E você? Veio só?

-Vim, mas não estou só, meus pais moram aqui e uma das minhas tradições de ano novo é passar a virada de ano aqui com eles. Deixo esposa e filhos lá no interior do Ceara e venho visitar os coroas,

Não sei aonde veio a inspiração pra a pergunta que fiz em seguida:

-Uma das tradições? E quais as outras?

Ele abriu um sorriso extremamente sacana e respondeu:

-Comer cu de viado logo depois que o ano vira!

Eu achei graça e rir desconcertado. E ele continuou:

-É serio! Me garante um ano bom! E aqui todo ano acabo enrabando um enrustido diferente!

Eu ainda rindo perguntei:

-Inrustido?

-É, tem muito inrustido aqui, que se faz de macho, as vezes com namoradas, as vezes com esposas, mas o que curte é rola!

-E você já escolheu quem vai ser sua vítima esse ano?

Ele se recostou na cadeira, deu um gole no uísque e respondeu:

-Tem alguns candidatos, esse ano tá farto aqui, mas já selecionei alguns, entre eles você.

Engoli seco, nunca tinha tido nada com homem nenhum, confesso que tive algumas fantasias, que vez ou outra na internet bati uma punheta vendo um filme gay, mas nunca nada além disso e achava normal um homem sentir curiosidade e que não passava disso. Mas ali, diante daquele macho que embora baixinho era muito interessante e se colocava, mostrando o que queria, me excitou, não respondi a ele, apenas olhei pra ele.

-Mas já tenho um cu certo pra comer, mas veja assim, aqui a gente esta no horário de verão, a meia noite vou comer esse cara...

Terminou de virar o copo de uísque, me deu dois tapas no ombro, se levantou e olhou pra mim dizendo:

-Mas após a meia noite de verdade, no horário certo, aí seu cu é meu! Esse ano pra você, você não vai só romper o ano, vai romper o anus!

E saiu me deixando sentado de pau duro com as palavras dele. Não sabia se levava a serio ou era apenas palavras de algum cara chapado de álcool, mas pra mim que sempre fantasiei foi o bastante pra me deixar excitado por aquele baixinho marrento. Mas não tive muito tempo para refletir sobre o ocorrido, alguns segundos depois dele levantar minha esposa se senta ao meu lado. A noite seguiu e as zero horas teve aquela algazarra comum ao fim de ano, pude observar de longe ele todo alegre e ja sem camisa abraçado a algumas pessoas cantando as músicas de ano novo. Mas alguns minutos depois o perdi de vista e não o vi mais. Quando se aproximava da uma da manha o D.J. anunciou a "nova" virada de ano e mais uma vez, músicas, champanhe estourada e fogos pra todo lado e enquanto abraçava e desejava feliz ano novo para o vizinho que me convidou vi mais uma vez o marrento, ainda sem camisa, com uma garrafa de champanhe molhando todos em volta dele. Nesse momento minha mente viajou no que ele disse, que aquela seria a minha hora de romper o "anus", fiquei imaginando como seria estar com outro homem, como ele faria, aonde faria e coisa e tal até que... Quando me dei conta tinha perdido ele de vista novamente. Deixei pra lá, pensei que era apenas mais uma fantasia, que me renderia uma bela punheta no momento oportuno.

Ja passava um pouco das três da manha, quando o meu anfitrião se levantou para acompanhar uns amigos e minha esposa me disse que iria colocar minha filha pra dormir e sumiu com a amiga para dentro da casa. Fiquei sentado, matei o copo de uísque, enchi outro, e reparei ja se aproximar das 03:30, obviamente minha esposa não voltaria mais, devia ter pego no sono com minha filha, decidi matar aquela dose e me recolher ao quarto junto com elas ja que estava só. Ao terminar o último gole eis que o marrento surge mais uma vez do nada, sem camisa e se senta novamente ao meu lado:

-E aê grandão? Cadê a esposa?

-Foi botar a minha filha pra dormir e pelo visto ficou por lá....

E então fez-se o silêncio, eu já estava alto e não agüentei e perguntei:

-E então? Deu sua gozada de ano novo?

Ele me olhou e deu um sorriso safado, pegou a garrafa de champanhe que estava na mão, encheu meu copo e em seguida deu um gole direto da boca da garrafa!

-Cara foi ainda melhor do que imaginei, dei minha gozada pensado em guardar a segunda pra você... (Deu outro gole no champanhe)... Mas aí, tá vendo aquele malhado ali?

E apontou pra um moreno grandalhão dançando.

-Na segunda virada, quanto a gente tava na farra, deu uma apertada na minha pica, aí ja viu né?

Eu fiquei olhando pra ele com cara de curioso, o tal malhado era um armário, imaginei um monstro daquele tamanho dando pro baixinho, ok que ele era malhado também, mas o cara era um gigante, continuei o fitando aguardando pela continuação, mais uma vez ele sorriu e continuou:

-Meti pica nele e acabei dando mais duas!

Eu ri sem graça, não sabia se era verdade ou história dele, peguei o copo e bebi o champanhe e mais uma vez, incentivado pelo álcool continuei:

-Porra, justo hoje que pensei que ia perder minha virgindade o cara gastou todas as balas.

Ele arregalou os olhos? Eu entendi que ele estranhou o lance da virgindade completei:

-É cara, nunca estive com um homem, só com mulher, cheguei a pensar que seria hoje.

Ele com cara de desentendido me respondeu:

-Não entendi porque você me disse isso, eu já imaginava que você era irrustido e que provavelmente ainda era cabaço, por isso que me interessei em você, por isso e porque você é grandão! Nunca lasquei um grandão.

-Ué, só falei isso porque você fez uma cara de espanto!

Ele mais uma vez deu uma golada funda no champanhe e respondeu:

-Não, a cara de espanto foi porque não entendi aonde você tirou que gastei todas as minhas balas!

-Você não deu três gozadas hoje com dois caras? Não vai ter mais gás pra "descabacar" um terceiro?

E riu antes de continuar

-Ainda mais grandão assim? Pode apostar que ainda tem bala aqui!

E deu uma pegada no pau sobre a bermuda, reparei o abdômen tanquinho do baixinho, o que me excitou ainda mais. Porém já estava alto de uísque e champanhe e com o tesão a mil e não deixei barato:

-E é só assim? Eu que sempre quis experimentar, no dia que pode rolar, vou aceitar ficar com resto? Não! Se for pra rolar quero parada completa!

-Como assim?

-Não quero só um resto de gozada não, quero gozada de verdade e no mínimo duas como você fez com o malhado!

Ele sorriu, bebeu de novo o champanhe, me olhou com cara de malandro:

-Eu vou me levantar aqui, e vou andar naquela direção, me acompanhe uns passos atrás, vou dar o que você quer.

Deu outro gole e em seguida repetiu os dois tapas no meu ombro:

-E ainda mais!

Piscou pra mim, se levantou e saiu andando. Virei o copo de champanhe, engoli seco e pensei comigo: "essa é a sua chance, um cara que você nem sabe o nome, tesudo, comedor, que você nunca mais vai ver, é agora ou nunca!", vi ele se afastando, me levantei e comecei a seguir ele a distância.

O segui até que no fundo do condomínio ele virou em um corredor escuro, entrei no corredor e o perdi de visita, segui até o fim e me dei conta que sai nas garagens, mas não o via até que ouvi:

-Psiu, grandão, por aqui!

Me virei e vi o vulto dele no fundo de uma das casas, segui e entrei passando pela frente dele em uma porta que dava na cozinha escura, ele atrás de mim fechou a porta e trancou a chave, a retirou e guardou no bolso. Vendo aquilo perguntei:

-Vai me trancar aqui?

-Você é cabaço! Assim não tem como você fugir!

Passou na minha frente e acendeu a luz do cômodo seguinte, era uma sala, com janelas e cortinas fechadas, apenas um sofá, com um lençol bagunçado em décima e um colchão no outro canto, andei no meio da sala observando o local e perguntei:

-Que lugar é esse?

-É uma das casas de meus coroas, eles tem várias aqui.

-Foi aqui que você abateu os dois caras hoje?

Então senti ele colando nas minhas costas e roçando a pica na minha coxa direita:

-Aqui é meu abatedouro e aqui que vou abater você!

Em seguida senti a mão dele passar na minha barriga, ele se botava como macho e eu adorava aquilo, joguei meu corpo pra tas pra colar no dele, ele suspirou e falou:

-Minha noite de sorte esse 1 de ano, três cus!

-E três gozadas!

-Três gozadas eu ja dei em dois cus!

E senti a mão dele me empurrar me jogando sentado sobre o sofá, o baixinho era realmente forte!

-Nesse rabão quero quebrar meu recorde! Quero mais três!

Cai sentado e e na minha frente, com cara de sacana, abriu o botão da bermuda deixando ela cair no chão e ficando apenas de cueca. Enfiou a mão dentro da cueca e sacou a pica pra fora, ficando a alguns metros de mim em pé apenas de cueca com a pica que mesmo estando meio mole, meio dura balançando fora da cueca era gigantesca e grossa.

Ele veio na minha direção, me garrou pelos cabelos e puxou minha cabeça pra trás me fazendo olhar nos olhos dele:

-Hoje mato sua vontade de virar viado e te transformo em puta vadia e ainda dou todas as gozadas que sempre tive vontade de dar, mas ficava com penas dos viados, mas você assim todo grande? Vou atolar e socar sem pena!

Segurou a pica com a outra mão, puxou minha cabeça, bateu com ela naquele estado de meia-bomba na minha cara algumas vezes. Eu estava entregue aquele macho miúdo e marrento, só me cabia obedecer suas vontades, e não demorou até sentir a cabeça da pica dele forçando meus lábios boca a dentro. A rola entrou e senti o gosto de pica de macho pela primeira vez na vida. O fato de saber que aquela pica ja tinha sido usada e muito naquela noite me excitava ainda mais, saber que eu era só mais um viado que estava ali pra satisfazer aquele macho me deixava louco. Comecei a fazer o que sempre tive vontade e mamava com desejo aquela pica mole, no inicio ele me puxava pelos cabelos enterrando minha cara na virilha dele que estava com os pentelhos aparados. O cheiro de macho dele penetrava minhas narinas me deixando ainda mais louco, mas logo ele parou, largando meus cabelos, quando percebeu que eu já estava louco e que mamava na rola dele como um bezerro sedento por leite. Senti a vibração do abdômen dele com a risada irônica que antecedeu seu comentário:

-Isso viado! Mata sua vontade de mamar rola de macho!

Ele colocou as mãos na cintura e apenas assistia a mim sentado desesperado mamando na pica dele, que começava a ganhar volume dentro da minha boca, em dado momento pensei: "caralho! A vara desse miúdo deve ser maior que a minha!"Tudo bem que embora grandalhão não sou picudo, tenho 15cm, grossinha e reta e a principio pelo tamanho dele pensei que ele deveria ter menos que eu o no máximo o mesmo que eu, mas a pica do miúdo não parou de crescer! Continuava crescendo sem parar! Era impressionante o tamanho que aquele caralho estava tomando. Não só em tamanho como em espessura. E simplesmente não parava de crescer! E eu cada vez mais impressionado. Quando que me dei conta a pica dele ja estava dura feito aço, eu ja não engolia nem metade daquele vergalhão de carne. Agarrei com a minha mão e notei que ela não fechava ao redor da rola, afastei minha boca e minha cara e olhei para o membro dele. Era uma verdadeira TORA! Gigantesca! Um pouco curvada pra cima, cheia de veias e muito grossa! Minha pica comparada com a dele era verdadeiramente nada! Aliás dava até vergonha comparar as duas. Fiquei pasmo com aquilo eu olhei pra ele e o vi de mãos ainda na cintura me olhando com ar de satisfeito com a surpresa que eu estava tendo e com um sorriso escroto nos lábios:

-Aposto que a vida toda se achou roludo, mas agora que tá vendo pica de verdade tá se sentindo humilhado, tá entendendo que você tem que ser é viado mesmo ne!?

Não respondi, apenas voltei a olhar impressionado pra aquele mastro grosso e duro enquanto socava punheta pra ele.

-Borá, engole essa trolha!

E enterrou a venga na minha garganta. Nem metade entrou e eu sentia aquele poste tocando o fundo da minha garganta.

-Você vai lembrar a vida toda o dia que perdeu o cabaço pra um macho cearense de 25cm de rola grossa!

Puta que pariu!!!! 25cm de rola!!!! Aquele baixinho tinha me humilhado ao extremo!!!! Um homem com quase 40cm de altura a menos que eu tinha uma pica que fazia a minha parecer amostra grátis!

Senti ele segurar minha cabeça com as duas mãos e começar a fuder minha boca. Fuder mesmo, como quem fode uma buceta. Sempre desejei fazer aquilo com minha esposa, mas nunca fiz por medo de machuca-lá, medo que ele deixava claro não ter comigo. Empurrava fundo e com força. Sentia a mega rola machucar minha garganta sem pena, ele enfiava com tanta força que a vara passava direto pra garganta. Agora ele estava louco, gemia e enfiava aquela viga dura com tudo na minha garganta, eu mal consegui respirar, literalmente fudeu minha boca e garganta por vários minutos, eu estava com o rosto todo melado de baba do rolão dele, baba da minha boca e lágrimas dos meus olhos até que soltou minha cabeça.

-Boca gostosa da porra!!! Esse cu então deve ser delicioso!!! Quero sentir ele na minha pica agora!!!

Eu me adiantei, puxei todo ar que podia e soltei:

-Deixa eu só vestir uma camisinha nessa rola!

E antes dele responder, enfiei a mão no bolso, puxei a carteira e peguei uma camisinha que ja estava lá guardada a muito, abri o pacote e olhei pra ele que tinha voltado a por as mãos na cintura e me olhava com um sorriso nos lábios.

-Tá bom, encapa a vara aí que quero ver!

Abri o pacote e comecei a tentar embrulhar a tora, mas por mais incrível que pudesse parecer, encontrei muita dificuldade. Era muito grossa, a camisinha estava com muita dificuldade de entrar e quando começou a entrar.... Rasgou! O que arrancou uma risada dele.

-Isso é camisinha de trouxa, de viadinho tirado a macho, não cabe em rola de macho de verdade!

Só então olhei pro chão e vi uns pacotes de camisinha verde pelo chão e notei as letras "XG".

-Cara, em você só camisinha extra grande, eu não tenho nenhuma, você tem?

Ele arrancou a camisinha rasgada do pau, me segurou pelo braço e me virou de bruços sobre o braço do sofá.

-As que tinha ja usei hoje, você vai ser no couro! Vou sentir o cabaço do seu cu abrindo sobre minha pica!

E antes que eu pudesse protestar ele arrancou a cueca e se jogou nu sobre minhas costas.

-Você hoje vai perder a virgindade que nem mulher na noite de núpcias!

E puxou minha bermuda e cueca deixando minha bunda exposta. Senti as duas mãos dele separando minha bunda e em seguida a vibração do corpo dele com a risada:

-Porra! Que cu pequeno é esse viado? Você desse tamanhão com esse cuzinho miudinho??? Você vai sofrer pra caralho hoje!!!

E mais uma vez antes de responder senti a língua dele no meu rabo, aquilo me fez estremecer na hora. Não sabia que era tão gostoso uma linguada no rabo! E ele fazia aquilo com excelência! O baixinho era muito experiente sem duvida!

-Tá achando bom puta? Pois bom você vai achar quanto estiver arregaçando você!

Ele encaixou o cabeção do mastro na pontinha do meu cu e forçou, mas não entrou, a cabeça era grossa demais e meu cuzinho pequeno demais. A força que ele fazia doía sem mesmo nada entrar. Ele então se levantou, mexeu no bolsos da bermuda como quem procurasse pro algo e não encontrou, foi na cozinha e voltou, ele procurava algo e não achava.

-Porra os pacotes de gel usei tudo e não nada nessa porra de casa pra ajudar! Vai o jeito vai ser chupar! Baba minha rola!

E sem nem esperar nenhuma resposta a viga ja estava cravada em minha garganta de novo. Tentei babar e melar o máximo que podiam quando senti o dedo dele invadindo meu cu sem pena, o que me arrancou um gemido de dor.

-Se você tá gemendo com um dedo fino, com a rola vai gritar!

Continuei mamando e punhetando a pica dele, enquanto ele brincava de abrir minha bunda com as mãos e me comia usando um e em dado momento dois dedos.

-Não vou meter mais dedo que isso, quero sentir seu cu apertando minha rola.

Nesse momento que outra coisa me passou pela cabeça. A quanto tempo eu mamava o rolão gigante do baixinho? A quase uma hora! E o cara não gozava! Comecei a me preocupar, eu queria dar pra ele sim, mas a pica era grande demais! Se entrou em outros, claro que entraria em mim, mas com certeza a custo de muita dor! E pela potência que a pica dele estava demonstrando, era óbvio que eu não ia agüentar, então o tesão se afastou um pouco e deu lugar para o medo, tirei a pica dele da boca e comecei a socar uma punhetar forte e rápida enquanto olhava assustado pro tamanho do mastro e pensei: "Quero muito dar pra um macho, mas se der pra esse eu vou sair alejado, de rabo destruído, tenho que botar ele pra gozar agora pra tirar essa idéia dele me comer!" E voltei a mamar como se minha vida dependesse daquilo. Ele gostou, parou de mexer no meu rabo e puxou o corpo pra trás exibindo toda sua rola pra mim.

-Viado, só acredito que você é cabaço pelo cu apertado, mas você nasceu ora ser vadia, seu talento pra mamar tá no sangue!

Mamei muito forte e rápido, punhetando a trolha o tempo todo e acredito que em dez minutos, senti o corpo dele tremer, o pau (por mais incrível que pareça) inchar mais, ele segurar minha cabeça pelos cabelos e os jatos de porra invadirem minha boca junto com seus urros e xingamentos. Não era possível ser verdade que aquela era a quarta gozada dele, os jatos inundaram minha boca, foi muito esperma lançado por aquela tora, mais uma vez me senti humilhado, eu precisaria dar 3 gozadas inteiras pra gozar a qyuantidade de gala de um único jato de porra dele. Tudo naquela pica era mega! Foi impossível não engolir parte da gala e acabar vazando outra parte pelo canto da minha boca. Quando ele finalmente parou de gozar. Soltou meus cabelos e se recostou ofegante.

- Baitola, na boa, a melhor gozada a base de mamada da noite! Pode se orgulhar do seu talento de mamador de bagos de macho!

Mais uma vez me senti um pouco humilhado. Eu estava ali, com gala do cearense miúdo, no estômago, na garganta, na boca, no rosto e no peito. O cara não sou tirou sua onda de macho como de picudo, brincou com os dedos no meu cu e fez minha boca de buceta. Eu pai, casado virei puta na mão dele. Mas pelo menos ele tinha gozado e achei que tínhamos acabado. Peguei parte do lençol, limpei minha boca e peito e diferente dele que já estava nu, eu só com a parte de trás da bermuda e cueca abaixadas, fiz o movimento que iria subir a bermuda. Ele levantou não hora dizendo:

-Opa! Nem pensar baitola! Vamo aproveitar que alarguei um pouco seu cu com os dedos! Vou meter logo!

Quando eu tomei ar pra falar que tinha desistido senti a mão dele segurar meu cabelo mais uma vez e a pica dele meia bomba forçar com tudo meus lábios e invadir minha boca.

-Vai, mostra aquela tua competência de mamar rola e deixo logo minha rola dura.

Eu além de cansado estava com a boca arrebentada de chupar rola por quase uma hora e estava com medo de dar o cu então estava com dificuldade pra chupar mais.

-Vadia, quanto mais demorar de minha vara ficar armada, mais seu cu vai fechar e não vou mais abrir ele com os dedos, agora vai entrar de qualquer jeito! O cu é seu, eu vou arregaçar isso é fato, você que vai decidir se vai sofrer muito ou pouco.

-Porra, mas tem que sofrer? Não pode ser sem sofrer?

-Puta, olha o tamanho da bagaça que você ta mamando. Mal cabe menos da metade na sua boca e vai entrar toda no seu cu apertadão e ficar entrando e saindo sem parar, com força, por horas sem parar. E impossível você nai sofrer.

Me convenci que ja tinha virado vadia dele, que com medo ou sem, querendo ou não dar, ele ia meter em mim, então que fosse o menos dolorido possível. Doer ia, já tinha sentido que ele gostava disso, de causar dor, mas que fosse o menos possível. Reuni minhas forças e voltei a mamar com tudo e ele ficou satisfeito.

-Isso putinha chupadora de trolha! Mama direito!

E em pouco tempo aquela giga rola estava dura e parecia maior!

-Vai baba ela toda que agora ela vai conhecer seu estômago, entrando pelo cu!

Babei o máximo que podia, ele arrancou na toda a pica da minha boca, me posicionou de quatro no sofá e começou a tentar enfiar, mas... Não entrava! Era grossa demais.

-Porra viado! Seu cu é pequeno demais comparado com minha rola. Nunca tirei cabaço de um cu tão fechado! E o foda que como ja meti e gozei muito minha pica tá mais inchada que o normal. Ja sei, vem comigo.

E me puxou pelo braço, subimos as escadas e entramos no banheiro.

-Tira a roupa!

Enquanto obedecia ele ligava o chuveiro. Quando nu, ele me puxou pelo braço pra dentro do Box largo e grande e me colocou debaixo da água quente. Nesse momento ele me olhou e riu novamente.

-Porra, você nasceu pra ser viado! Que porra é essa? É essa minhoca que você chama de rola?

E riu largo, eu sem graça só abaixei a cabeça envergonhado.

-Se você tinha alguma duvida que era viadinho depois que viu minha tora teve certeza absoluta e confirmada!

Pegou o sabão, passou na vara gigante que ainda estava durassa, me virou de costas contra a parede do chuveiro.

-Agora você vai tomar no cu e virar viado completo!

E mais uma vez forçou a cabeça da rola, forçou, forçou e senti meu cu se rasgando literalmente. Foi lacerante a dor! Foi impossível não gritar e puxar o corpo pra frente fugindo daquele poste que me invadia.

-Mas que foi viado? Só a ponta da cabeça entrou! Muito menos da metade da cabeça!

-Rapaz doeu demais!

-Deixe de ser fresco seu baitola! Você é um viado casado! Pelo menos finja ser macho e agüente uma rola de verdade no cu! Tu só num presta pra isso? Pra ser puta de macho? Então guente rapa!

E me puxou pela cintura, posicionando novamente o cabeção na porta do meu rabinho dolorido.

- pelo menos va devagar! É muito grossa cara.

Ele riu bem escroto antes de responder.

-E hoje tá mais grossa ainda, a madeira esta inchada!

E sentir o encontrão que dessa vez não trouxe só a ponta da cabeça, mas sim o cabeção inteiro numa estocada só pra dentro de minhas entranhas. Minhas vistas ficaram turvas, minhas penas bambas, achei que ia desmaiar de tanta dor. Quando comecei a me curvar, ele me segurou pelo peito com um braço, apoiou a outra mão na parede a nossa frente e disse bem no pé do meu ouvido:

-Perder o cabaço na rola de macho de verdade é assim mesmo! Seu sofrimento nem começou, mais visse, pense assim, melhor perder o cabaço pra um macho real, metedor, picudo de verdade, que pra esses viadinhos tirados a macho. Agora vai, se porte como um viado descente, se ponha de pé, e guente seu sofrimento direito pra minha rola arregaçar seu rabo como se deve!

Ele era realmente malvado, sabia que estava causando dor mas não se importava com isso, aliais quanto mais me fazia sofrer nais ele gostava. Senti o mastro forçando caminho pra dentro de meu rabo, que ia sendo rasgado a medida que cada centímetro lentamente ia entrando.

-Tô metendo bem devagar pra você sentir cada cm da rola e eu sentir cada prega sua ser arrombada!

E continuava metendo sem parar. A dor era grande demais, eu não sei como estava aguentando e gemia alto apertando os olhos, e ele continando a me empalar sem pena. Em dado momento parou.

-Baitolão, boa noticia pra você, meia rola já esta dentro de você!

Puta que pariu! Meia rola?!?!?!?! Eu estava com o rabo todo rasgado! Sentindo ele alargado ao extremo, com tanta dor que se não fosse a parede em frente e o bração sarado do baixinho me segurando, não conseguiria ficar em pe e só tinha sido metade da pica?

-Cara, você só esta metendo, nem começou a me comer, e eu não estou aguentando. Não vou conseguir receber sua pica toda não, é grande demais pra mim.

Senti quando ele arfou e em seguida puxou o mastro todo pra fora de mim. A puxada pra fora doeu demais o que me fez soltar un gemido alto de dor. Eu estava com os olhos fechados e quando abri percebi que ele lavava a pica. E antes de perguntar ele falou.

-Verdade, nem comecei a TR comer e to destruindo seu cu.

Quando olhei pra baixo vi o sangue. Meia rola dele literalmente rasgou meu cu. Ouvi ele rindo novamente enquanto se posicionava atrás de mim.

- Como uma virgem de verdade perdendo o cabaço! Sangrando e tudo!

E começou a me empalar novamente, enterrou a tora ate a metade numa estocada só. Eu quase grito com a dor. Ele desligou o chuveiro, passou a mao pela minha cintura e me puxou.

-Agora que a rola entrou venha pra cama pra eu não ter que ficar segurando você pra não cair, vai atrapalhar na hora de te comer. Agora ande com cuidado pra minha rola não sair do teu cu. Se eu sentir que ela vai escapulir viu ter que enterrar ela toda visse?

E fui caminhando com muita dificuldade ate o quarto. Porque alem dele se bem mais baixo que eu e eu ter que andar meio abaixado, andar com aquela viga no cu era difícil, mas consegui chegar no quarto e molhado mesmo ne curvar sobre a cama.

-Deita ai puta!

Obedeci e me deitei com ele por cima de mim.

-Eita! Olha o tamanho das costas dessa bicha? Agora um homem desse tamanho é viado mesmo ne?

Fiquei calado.

-Aliais nem só viado, uma Putinga engolidora de rola por todo lado, pela boca, pelo cu, ne?

Não respondi.

-E sua mulher hein? Ela nem sabe que é casada com um viado fêmea. Nem comer ela direito você deve comer ne? Porque com uma amostra grátis de pica como essa que você tem, ela não deve nem sentir quando você mete.

Mais una vez permaneci calado.

-E a gente sabe que o que você gosta mesmo é de pica ne? Pica de um macho de verdade igual a mim. Ne?

Não respondi novamente e senti o tapa na cabeça?

-A rola alem de rasgar seu cu deixou tu surdo foi? Responda o macho que te come quando ele te fizer uma pergunta! Não é de rola de macho de verdade tipo eu que tu gosta?

Balancei a cabeça em sinal de sim e em seguida senti uma dor brutal! Ele empurrou toda a trolha de uma vez só dentro de mim! Dessa vez não aguentei, a mega rola entrou rasgando tudo que sobrou de pregas numa só, enterrei minha cara no colchão e urrei de dor, a dor era tao grande que nem forças para tentar sair daquela situação eu tinha. Foi então que cravado em mim ele disse em tom irônico:

-Ah ta! Então o viado nai ficou mudo não! Aprenda a me responder visse baitola? Ou senão vai sofrer as consequências.

Eu em tom desesperado respondi:

-Ta, ta bom, vou responder sempre!

-Isso, gosto de puta assim, obidiente!

E tirou parte da tora de dentro do meu cu.

-Bem, pelo menos já vimos que cabe toda dentro ne? Agora que já entrou, ta na hora de fuder!

E começou a me comer. No inicio um entra e sai lento que em pouco tempo se tornou intenso. A bem da verdade foi que só sentir dor. Sempre li que quando um macho começa a comer sente-se dor, mas que com o movimento se transforma em prazer. Não foi o que aconteceu comigo. Acho que por causa do tamanho absurdamente grande e a espessura exageramente grossa daquela mega pica combinado com o fato de eu ser virgem e esta recebendo vara pela primeira vez, senti dor do inicio ao fim, mas o prazer que senti veio de outra forma. Toda a humilhação da parte dele em diminuir minha hombritude, dele se mostras um MACHO de verdade, dele tirar onda por ter aquela giga rola, de ter me botado pra mamar ate engolir o leite dele, de me botar medo por ter que encarar a tora dele e o fato dele ter me feito literalmente de puta na hora de meter (o cara meteu muito, em vaaaarias posições, deitado por cima de mim, de lado, de 4, em pe...) tudo isso combinado, me deu um prazer incrível, a ponto de a dor que senti por ser invadido por aquele mastro fazer parte desse prazer. Ao fim de mais dr uma hora de meteção severa, ele me virar de frango assado e enquanto metia dizer:

-Então, virou vadia mesmo de macho não foi?

Já tinha aprendido a lição de que não responder a ele teria punição então respondi.

-Virei!

-Ta com o cu todo arrebentado ne?

-Tô.

-Gostou de ser descabaçado por um macho de categoria e roludo não foi?

-Foi, gostei.

Ele riu irônico

- O viado ta tomando tanto no cu que nem ta conseguindo responder direito. Mas relaxe, seu sofrimento acabou, vou encher seu cu arrombado de leite agora!

E gemeu alto, urrando, e enchendo meu rabo de rola. Eu estava com o cu tão sensível de tanto receber rola que senti os jatos de porra me inundando. O baixinho goza demais! É muita gala a cada gozada. Pronto ele estava saciado. Foi outra coisa que me deu prazer, saber que eu tinha conseguido satisfazer um macho como aquele. Apos gozar, ele ficou alguns segundos ainda com o mastro enterrado em mim. Mexeu ele um pouco e por fim tirou de mim. Deu a volta na cama e empurrou o pirocão que já começava a amolecer na minha boca.

-A ultima tarefa do viado numa foda é deixar a rola do macho limpinha, brilhando!

Reuni o resto de forcas que tinha e limpei a tora com a boca, a deixando limpa. Me levantei todo arrebentado e literalmente andando torto e mancando e me vesti. Encontrei com ele na sala que ao me ver abriu um sorriso safado.

-Que é isso? Foi atropelado por um caminhão?

Encostou em mim, apertou minha bunda com a mão, com a outra puxou minha cabeça e pela primeira vez me beijou. O primeiro beijo que dei em um homem foi como imaginei que seria, forte, intenso, muito gostoso. Ao terminar o beijo e soltou minha bunda e disse:

-Foi caminhão não, foi um macho que te atropelou! Viu sacana? Acha que encarar macho é tarefa fácil?

E saímos rindo. Já era dia, entrei na casa dos meus anfitriões e cai desmaiado pra dormir. Foi isso mesmo, nem gosei, estava tao acabado que nem forças para isso tive. Perdi minha virgindade do jeito certo. Com o homem certo e foi perfeito. Tão boa quanto a segunda vez que fui comido, aliais por esse mesmo baixinho.


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario ricksspsp

ricksspsp Comentou em 11/09/2015

Mano conto show de bola. Falta contar p nós aa segunda foda com ele. Conta ae. Parabéns.

foto perfil usuario ricksspsp

ricksspsp Comentou em 11/09/2015

Conto show de bola mano. Me deixou com um puta tesão. Cadê a segunda foda? Conta p nós!!!

foto perfil usuario bryanteso

bryanteso Comentou em 07/06/2015

Gozei, parabéns pelo conto

foto perfil usuario papamike

papamike Comentou em 19/12/2014

PDQ que foda em... parabéns... pena que não acho um macho deste para fazer o mesmo com ele milico... mas continuo procurando... abraço...

foto perfil usuario brunosantos

brunosantos Comentou em 09/12/2014

Que maravilha de conto! Adorei! Também quero ser comido por um macho de verdade assim, pra sentir cada centímetro de uma rola de verdade entrando! :)




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


Ficha do conto

Foto Perfil Conto Erotico maumauzao

Nome do conto:
Descabaçado pelo baixinho mega roludo e escroto

Codigo do conto:
57364

Categoria:
Gays

Data da Publicação:
08/12/2014

Quant.de Votos:
14

Quant.de Fotos:
0


Online porn video at mobile phone


quadrinhos eroticoscontos eroticos gays meu primo drogadobuceta de cadelas ler contos eroticos de dupla penetracaofudi meu amigo no exercitoprono quadrinhos a funcionária virgem e seu patrão agiota conto eróticocontos eroticos gays infancia na roçacontos eróticos gay mictórioxvideos lindas bucetas arrrgacadascontos eroticos negrascontos cfm com fotos esposas arrombadasso bucetudas chorando quando a pica entrouporno de marrentas violentadasconto de uma putaflagrei meu irmão fazendo xixiconto gay descabacei um casadocontos eróticos síririca pra papaicontos eroticos de caras bêbados com garota de programaConto erotico pivete pintudo com gostosaConto erotico obedecendo vovôconto erótico entre sobrinhosesposa seria bebada no churrasco da empresa contokmilinha meus contos eróticosnissei sexo em londrina prconto erotico meu irmao me coeerótico travestiscontos eroticos MEU filho meu DONO 3perdi as preguinhas do cu quando era pequenacontos gay com montadoresmendigo gay pornoPokémon peladascontos eróticos excitante e ilustrados de dotadosmalacocamaradaquadrinhos eroticosmadrasta apelando para se fodido pelo enteadoconto primera vez submisso do negaocontos eróticos me enrabaram novinhaconhecendo senhora conto eroticobuceta com buceta grudadinha gozando bem gostosos imagem lesbiscas pono conta erótica de relato estrupando a tia do cu fedorentowww.casadanocio.comcontos eroticos metendo na coroa gorda do almoxerifadocontos erotico homen vestil calcinha para o amígomeu sobrinho comeu minha esposafilme porno encoxando uma policialno onibuultimos contos sadocontos eroticos mae carenteconto erotico gay o colo do vovôconto erótico hard bdsmconto erótico estuprada de fio dentalirmãos franceses gay incestoconto erotico velho e esposa humildecontos eróticos,meu patrão fudeu minha mulher e fez ela dar para um clienteComi a xoxota da minha enteada contoxxvideo traiçãoconto baixinho troncudo pirocudocontos eroticos gays com gesseirospapai fode a filiha ate goza na bucetinha delanora putacontosconto erotico minha prima me seduziuSala conto eroticoclimax contos encoxando a filha no busaoxvideo do cunhado pecado a cunhadinha a fosa gozado dretro da boceta delagay gemendo e apertando colchao com forca sendo estrupado pornocontos gays com negao militar de 25 cmcontos eroticos com hupadas e amadadconto erotico Edilenenegao para esposas contosConto erodico gay comendo o mentigo ate ele cagarso na bundinha da mamãe contosvideo porno escrava nifetinhado sexocontofilhinhaconto o cu do meu cunhado machaoO coroa amigo da minha mae me molestava e acabeu viciano contos eroticosconto erotico gay o supervisorContos gay com malhadoQuadradinho erotico conto 2006arregaçando conto heterocontos trepei com um braco de 23cmmae dar sua filha nifeta pRa seu amate fuderquadrinhopornotraicaosexo maninhacontos eroticos sexo com sograquadrinhos eroticos aventura no aviaoporno em contoscontos erotico meu filho arrombo meu cumulher e novinha gostosa pegando caronha e fazendo sexocontoseroticosdpvarginal